China lança Yaogan Weixing-27 desde Taiyuan



лªÉçÕÕƬ£¬Ì«Ô­£¬2015Äê8ÔÂ27ÈÕ     ÎÒ¹ú³É¹¦·¢ÉäÒ£¸Ð¶þÊ®ÆߺÅÎÀÐÇ     8ÔÂ27ÈÕ10ʱ31·Ö£¬ÎÒ¹úÔÚÌ«Ô­ÎÀÐÇ·¢ÉäÖÐÐÄÓó¤Õ÷ËĺűûÔËÔØ»ð¼ý£¬³É¹¦½«Ò£¸Ð¶þÊ®ÆߺÅÎÀÐÇËÍÈëÌ«¿Õ¡£     ´Ë´Î·¢ÉäµÄÒ£¸ÐÎÀÐÇ£¬Ö÷ÒªÓÃÓÚ¿ÆѧÊÔÑé¡¢¹úÍÁ×ÊÔ´Æղ顢ũ×÷Îï¹À²ú¼°·ÀÔÖ¼õÔÖµÈÁìÓò¡£ÕâÊdz¤Õ÷ϵÁÐÔËÔØ»ð¼ýµÄµÚ207´Î·ÉÐС£     лªÉç¼ÇÕß ÑàÑã Éã

Confirmando os recentes rumores sobre um lançamento iminente orbital, a China colocou em órbita o satélite YG-27 Yaogan Weixing-27. O lançamento teve lugar às 0231:34,989UTC do dia 27 de Agosto de 2015 e foi levado a cabo por um foguetão CZ-4C Chang Zheng-4C (Y18) a partir do Complexo de Lançamento LC9 do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan, localizado na província de Shanxi, no Norte da China.

Os rumores apontavam para que a China colocasse em órbita o satélite SW-6 Shiyan Weixing-6, também designado QS-3 Qinshao-3, porém tal não se veio a confirmar. Estes satélites são usualmente utilizados para missões experimentais que testam novas tecnologias em órbita.

Crê-se que o YG-27 seja o mais recente satélite da série JB-9 Jianbing-9 da qual fazem parte os satélites YG-8/15/19/22, sendo o 5º satélite de observação electro-óptica equipado com um sistema de observação de grande angular e de alta-resolução, tendo por base a plataforma Phonix Eye-2. Este tipo de satélites opera em órbitas sincronizadas com o Sol a uma altitude média de 1.200 km. Os satélites são construídos pela Academia de Tecnologia Espacial de Xangai.

лªÉçÕÕƬ£¬Ì«Ô­£¬2015Äê8ÔÂ27ÈÕ     ÎÒ¹ú³É¹¦·¢ÉäÒ£¸Ð¶þÊ®ÆߺÅÎÀÐÇ     8ÔÂ27ÈÕ10ʱ31·Ö£¬ÎÒ¹úÔÚÌ«Ô­ÎÀÐÇ·¢ÉäÖÐÐÄÓó¤Õ÷ËĺűûÔËÔØ»ð¼ý£¬³É¹¦½«Ò£¸Ð¶þÊ®ÆߺÅÎÀÐÇËÍÈëÌ«¿Õ¡£     ´Ë´Î·¢ÉäµÄÒ£¸ÐÎÀÐÇ£¬Ö÷ÒªÓÃÓÚ¿ÆѧÊÔÑé¡¢¹úÍÁ×ÊÔ´Æղ顢ũ×÷Îï¹À²ú¼°·ÀÔÖ¼õÔÖµÈÁìÓò¡£ÕâÊdz¤Õ÷ϵÁÐÔËÔØ»ð¼ýµÄµÚ207´Î·ÉÐС£     лªÉç¼ÇÕß ÑàÑã Éã

O foguetão CZ-4C Chang Zheng-4C

CZ-4CO desenvolvimento do foguetão CZ-4C Chang Zheng-4C (Longa Marcha-4C) de três estágios tem como base o foguetão CZ-4B Chang Zheng-4B e surge pela necessidade de se desenvolver um lançador cujo estágio superior tivesse a capacidade de múltiplas ignições em órbita com o motor YF-40A. Para além desta capacidade, o CZ-4C possui anéis estruturais na base do primeiro e do segundo estágio, uma cobertura climatérica na secção inter-estágio (que é ejectada no lançamento) e uma carenagem de maiores dimensões (que foi pela primeira vez introduzida com o CZ-4B). Outras características incluem um sistema de de gestão de propolente no terceiro estágio, um sistema de controlo de lançamento automatizado e controlado de forma remota, novos procedimentos no teste dos sistemas do lançador, transmissão de dados e de telemetria melhorada, e um novo sistema de fornecimento de energia, para além de um novo computador de voo com uma melhor performance de calculo e um sistema de fornecimento de energia mais pequeno, porém mais eficaz, e um novo sistema de orientação com obtenção de dados de GPS. Assim, todas estas características permitem que o CZ-4C Chang Zheng-4C seja capaz de colocar em órbita cargas de maiores dimensões e com uma maior precisão em relação ao CZ-4B Chang Zheng-4B.

O lançador adopta também um novo procedimento de verificação e em vez de ser testado numa posição horizontal antes de ser erigido na plataforma de lançamento, o veículo pode ser montado e testado na plataforma ao mesmo tempo, reduzindo num terço assim o tempo de preparação para o lançamento.

O CZ-4C é capaz de colocar uma carga de 4.200 kg numa órbita terrestre baixa, 2.800 kg numa órbita sincronizada com o Sol a 900 km de altitude ou 1.900 kg numa órbita de transferência para a órbita geossíncrona.

No lançamento desenvolve uma força de 2.960.000 kN e a sua massa total é de cerca de 250.000 kg. Tem um comprimento total de 48,50 metros e um diâmetro de 3,35 metros.

Dados Estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5469

– Lançamento orbital com sucesso: 5118

– Lançamento orbital China: 220

– Lançamento orbital China com sucesso: 208

– Lançamento orbital desde Taiyuan: 57

– Lançamento orbital desde Taiyuan com sucesso: 53

– Lançamento orbital desde Taiyuan em 2015: 2

Ao se referir a ‘lançamentos com sucesso’ significa um lançamento no qual algo atingiu a órbita terrestre, o que por si só pode não implicar o sucesso do lançamento ou da missão em causa (como foi o caso do lançamento do Progress M-27M).

A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono à data deste lançamento (os valores referentes aos lançamentos por parte da China não são precisos).

2015-040 1

2015-040 2

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo: 29,3% foram realizados pela Rússia; 29,3% pelos Estados Unidos (incluindo ULA, SpaceX e Orbital SC); 9,8% pela China; 17,1% pela Arianespace; 7,3% pelo Japão, 4,9% pela Índia e 2,4% pelo Irão.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

27 Ago (1122:00) – GSLV-D6 – Satish Dawan SHAR, SLP – GSAT-6

28 Ago (1114:00) – 8K82KM Proton-M/Briz-M – Baikonur, LC200 PU-39 – Inmarsat-5 F3

31 Ago (0807:00) – Atlas-V/551 (AV-056) – Cabo Canaveral AFS, SLC-41 – MUOS-4

2 Set (0434:00) – 11A511U-FG Soyuz-FG (G15000-054) – Baikonur, LC1 PU-5 – Soyuz TMA-18M (Союз ТМА-18М)

5 Set (????:??) – CZ-6 Chang Zheng-6 (Y1?) – Taiyuan – ZDPS-2A Zheda Pixing 2A; ZDPS-2B Zheda Pixing 2B; KJ-1A Kongjian-1A; KJ-1B Kongjian-1B; KJ-1C Kongjian-1C; TT-3 Tiantuo-3; XW-2 Xiwang-2A (CAS-3A); XW-2 Xiwang-2B (CAS-3B); XW-2 Xiwang-2C (CAS-3C); XW-2 Xiwang-2D (CAS-3D); XW-2 Xiwang-2E (CAS-3E); XW-2 Xiwang-2F (CAS-3F); DCBB (CAS-3G); LilacSat-2 (CAS-3H); NUDT-Phone-Sat (CAS-3I); XY-2 Xinjishu Yanzheng-2; ?????; ?????; ?????; ?????

Deixe um comentário