China lança vários satélites desde Jiuquan



A China levou a cabo o seu quarto lançamento orbital de 2018 utilizando um foguetão CZ-11 Chang Zheng-11 de combustível sólido. A bordo encontrava-se uma carga de vários pequenos satélites. O lançamento teve lugar a partir de uma plataforma de lançamento móvel localizada no Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan e teve lugar às 0412:49,784UTC do dia 19 de Janeiro.

A bordo do CZ-11 (Y3) estavam dois satélites comerciais de detecção remota Jilin-1 para a obtenção de imagens vídeo de alta definição, o satélite comercial de investigação Xiaoxiang-2, o satélite educacional Huaian ‘Zhou Enlai’, o satélite de demonstração de comunicações Kepler e o satélite de navegação e comunicação Quantutong-1.

Os satélites Jilin-1 a bordo do Chang Zheng-11 eram o Jilin 1-07 (Deqing-1) e o Jilin 1-08 (os satélites são também designados Jilin-1 Video-7 e Jilin-1 Video-8).

A constelação de satélites Jilin-1 (também designada Lingqiao-1) foi desenvolvida na província de Jilin pela Chang Guang Satelllite Tech Co. e trata-se da primeira constelação de satélites da China desenvolvidos para utilização comercial. A constelação será composta por vários satélites que irão fornecer dados para clientes comerciais para os auxiliar na previsão e mitigação de desastres geológicos, bem como encurtar a escala temporal para a exploração de recursos naturais.

A primeira fase da constelação viu o lançamento de três satélites Jilin-1 a 7 de Outubro de 2015 (Jilin 1-01 e Jilin 1-02) e a 9 de Janeiro de 2017 (Jilin 1-03). Entre 2018 e 2019 existem planos para a colocação em órbita de 16 satélites, completando uma rede de detecção remota que irá cobrir todo o globo terrestre e que será capaz de actualizações entre 1 a 3 horas no que diz respeito aos dados fornecidos. A partir de 2020, os planos apontam para 60 satélites numa constelação orbital capaz de fornecer actualizações em 30 minutos. A partir de 2030 a constelação Jilin terá 138 satélites em órbita capaz de fornecer dados em todas as condições atmosféricas e capaz de observar o planeta em qualquer parte do globo com uma capacidade de actualização de 10 minutos.

Os satélites Jilin-1 são projectados para a captação de vídeo com uma resolução superior a 1,0 metros e uma área de 11 x 4,5 km. O tempo de vida operacional dos satélites é de 3 anos e a sua massa no lançamento é de 95 kg.

Desenvolvido pelo Instituto de Investigação Tianji, o satélite Quantutong-1 (QTT-1) é um satélite experimental integrado de navegação e comunicações. É baseado no modelo CubeSat-6U da Spacety Aerospace Co.. O QTT-1 é o primeiro satélite de verificação técnica para uma futura constelação de pequenos satélites para o Tianyi Research Institute for Full-chart Location Network Co., Ltd.

O satélites Xiaoxiang-2 (também designado TY-2 Tianyi-2 ou Xiangjiangxiqu) é um CubeSat-6U com uma massa de 8 kg desenvolvido pela Corporação Aeroespacial Spacety e pelo Instituto de Investigação Changsha Gaoxinqu Tianyi, de Hunan. A bordo transporta experiências desenvolvidas pelo Instituto de Investigação Tianyi, em Changsha, província de Hunan).

O satélite Huaian ‘Zhou Enlai’ é o primeiro nano-satélite da China que teve o envolvimento de estudantes do ensino primário e preparatório. O satélite, baptizado em honra de Zhou Enlai, foi desenvolvido na Base de Desenvolvimento de Juventude de Huai’an, província de Jiangsu.

Com uma massa no lançamento de 2 kg, este Cubesat-2U está equipado com uma câmara óptica de alta definição e pode captar imagens com uma resolução superior a de qualquer outro satélite da China lançado para propósitos educacionais.

Os estudantes que participaram no projecto estiveram presentes no desenvolvimento e na simulação da performance do satélite, tendo aprendido os passos básicos na sua montagem e nas aplicações de transferência de dados de voz e de telecomunicações. O projecto foi aprovado em 2016.

O satélite CubeSat-3U KIPP foi desenvolvido pela Clyde Space para a Kepler Communications, uma empresa de comunicações por satélite que está a trabalhar com o objectivo de estabelecer uma rede de comunicações espaciais para activos espaciais. A empresa irá tentar resolver o problema da conectividade intermitente para satélites não-geostacionários, abrindo novas oportunidades de negócio que necessitem de conectividade para satélites em tempo real, e irá reduzir a dependência em infraestruturas dispendiosas no solo.

Assim, a Kepler Communications está a projectar uma constelação de CubeSats para a denominada Internet of Things (IoT) para serviços de comunicações machine-to-machine (M2M) e serviços de comunicações inter-satélite. No futuro a constelação pode ser expandida para um tamanho inicial de 10 a 15 satélites numa órbita polar. Com esta frota, a empresa pode fornecer comunicações de baixo ganho para vários terminais. Numa fase posterior a constelação pode ser aumentada para 120 satélites.

O foguetão Chang Zheng-11

cz-11-002667Poucas características são conhecidas do CZ-11 Chang Zheng-11 (长征十一号). Este lançador é um veículo a quatro estágios que consomem prepolente sólido. Possivelmente, o quarto estágio deverá estar equipado com um sistema de controlo que utiliza propelentes líquidos. O CZ-11 foi desenvolvido pela Corporação de Ciência e Tecnologia Industrial da China uma subsidiária da Academia Chinesa de Tecnologia de Lançadores Espaciais.

O foguetão tem um comprimento de 20,8 metros, diâmetro de 2,0 metros e uma massa de 58.000 kg, desenvolvendo 120.000 kg/f no lançamento, sendo capaz de colocar uma carga de 350 kg numa órbita sincronizada com o Sol a uma altitude de 700 km. Pode ser equipado com duas carenagens distintas (1,6 metros de diâmetro e 2,0 metros de diâmetro) dependendo da missão a levar a cabo. 

É um veículo de actuação rápida, podendo ser pronto para o lançamento numa questão de horas. O objectivo é dar resposta rápida em situações de emergência. O CZ-11 está projectado para o lançamento de pequenas cargas. O quadro seguinte mostra a capacidade de carga (kg) em relação à altitude da órbita circular para o Chang Zheng-11.

cz-11-002666

A figura mostra um esquema do foguetão Chang Zheng-11: 1) carenagem de protecção; 2) satélites; 3) adaptador de carga; 4) compartimento de equipamento de controlo; 5) motor de combustível sólido do 4º estágio; 6) sistema de controlo de reacção; 7) motor de combustível sólido do 3º estágio; 8) motor de combustível sólido do 2º estágio; 9) motor de combustível sólido do 1º estágio; 10) 4º estágio; 11) 3º estágio; 12) 2º estágio; 13) 1º estágio.

O primeiro lançamento do Chang Zheng-11 teve lugar às 0145UTC do dia 25 de Setembro de 2015 quando o veículo Y1 colocou em órbita os satélites Pujiang-1, Shangkeda-2 (TW-1A Tianwang-1A / SECM-1), NJUST-2 (TW-1B Tianwang-1B) e NJFA-1 (TW-1C Tianwang-1C).

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5709

– Lançamento orbital China: 279 (4,89%)

– Lançamento orbital desde Jiuquan: 99 (1,73%)

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

20 Jan (0130:00) – Electron (F2) – Máhia, LC-1 – Still Testing; Dove Pioneer; Lemur-2 (Tallhamn-ATC); Lemur-2 (Marshall)

25 Jan (2220:07) – Ariane-5ECA (VA241) – CSG Kourou, ELA3 – Al Yah-3; SES-14 (NASA GOLD)

26 Jan (????:??) – CZ-2C Chang Zheng-2C – Xichang, LC2 – YG-30-04 Yaogan Weixing-30-04A, B e C / CX-5 Chuangxin-5 (10, 11 e 12)

29 Jan (????:??) – Falcon Heavy-01 (B1023.2, B1025.2, B1033) – CE Kennedy, LC-39A – Tesla Roadster towards Mars

30 Jan (2123:00) – Falcon-9-049 (1032.2) – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – GovSat-1 (SES-16)

Deixe um comentário