China lança três satélites Jilin-1



A China levou a cabo o lançamento de três satélites comerciais de detecção remota da constelação Jilin-1 para a obtenção de vídeo de alta definição.

O lançamento teve lugar às 0450:13,723UTC do dia 21 de Novembro de 2017 e foi levado a cabo pelo foguetão CZ-6 Chang Zheng-6 (Y2) a partir do Complexo de Lançamento LC16 do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan.

A constelação de satélites Jilin-1 (também designada Lingqiao-1) foi desenvolvida na província de Jilin e trata-se da primeira constelação de satélites da China desenvolvidos para utilização comercial. A constelação será composta por vários satélites que irão fornecer dados para clientes comerciais para os auxiliar na previsão e mitigação de desastres geológicos, bem como encurtar a escala temporal para a exploração de recursos naturais.

A primeira fase da constelação viu o lançamento de três satélites Jilin-1 a 7 de Outubro de 2015 (Jilin 1-01 e Jilin 1-02) e a 9 de Janeiro de 2017 (Jilin 1-03). Entre 2018 e 2019 existem planos para a colocação em órbita de 16 satélites, completando uma rede de detecção remota que irá cobrir todo o globo terrestre e que será capaz de actualizações entre 1 a 3 horas no que diz respeito aos dados fornecidos. A partir de 2020, os planos apontam para 60 satélites numa constelação orbital capaz de fornecer actualizações em 30 minutos. A partir de 2030 a constelação Jilin terá 138 satélites em órbita capaz de fornecer dados em todas as condições atmosféricas e capaz de observar o planeta em qualquer parte do globo com uma capacidade de actualização de 10 minutos.

Os satélites Jilin-1 são projectados para a captação de vídeo com uma resolução superior a 1,0 metros e uma área de 11 x 4,5 km. O tempo de vida operacional dos satélites é de 3 anos e a sua massa no lançamento é de 95 kg.

O foguetão Chang Zheng-6

O foguetão CZ-6 Chang Zheng-6 (长征六号运载火箭), Longa Marcha-6, é um lançador de propulsão líquida e de pequena capacidade desenvolvido pela Academia de Tecnologia Espacial de Xangai. O lançador é baseado nos propulsores laterais de 3,35 metros de diâmetro desenvolvidos para os foguetões CZ-5 Chang Zheng-5. O primeiro estágio é equipado com um único motor YF-100 capaz de desenvolver 120.000 kg/f e que consome querosene e oxigénio líquido, o que causa menos poluição em comparação com os propelentes UDMH/N2O4 actualmente em uso pelos foguetões Chineses.

CZ6 5

O CZ-6 foi projectado para missões com cargas leves (até 1.080 kg) para órbitas sincronizadas com o Sol (SSO) a uma altitude de 700 km.

Em Setembro de 2009 o programa de desenvolvimento do Chang Zheng-6 foi oficialmente aprovado pelo governo Chinês e nessa altura esperava-se que o primeiro voo tivesse lugar em 2013. A Academia de Tecnologia Espacial de Xangai foi incumbida do desenvolvimento do novo lançador em Julho de 2008 (os estudos sobre o novo lançador haviam sido iniciados em 2000).

O CZ-6 tem um comprimeCZ6nto total de 29,237 metros e uma massa total de 103.217 kg (tendo uma massa de 9.020 kg sem prepolentes). O diâmetro da carenagem pode ser de 2,25 metros ou 2,60 metros, e o veículo é capaz de lançar uma carga de 1.080 kg para uma órbita SSO a uma altitude de 700 km (ou 500 kg se somente forem utilizadas estações de rastreio Chinesas). 

O primeiro estágio tem um diâmetro de 3,35 metros e está equipado com um único motor YF-100, consumindo 76.000 kg de querosene RP-1 e oxigénio líquido (LOX). O YF-100 desenvolve uma força de 1.177 kN (ao nível do solo) e tem um impulso específico de 2,9 km/s. O seu tempo de queima é de 155 segundos. O primeiro estágio utiliza quatro propulsores de 1.000 N para controlo de rotação.

O segundo estágio tem um diâmetro de 2,25 metros e consome 15.150 kg de RP-1/LOX. Está equipado com um único motor YF-115 que desenvolve uma força de 147,1 kN (ao nível do solo) ou 176,5 kN (no vácuo), com um impulso específico de 3,35 km/s (vácuo). O primeiro estágio utiliza quatro propulsores de 25 N para controlo de rotação.

O terceiro estágio está equipado com quatro propulsores de 4 kN cada, juntamente com oito propulsores de 100 N para controlo de atitude. Os motores consomem uma mistura de querosene e peróxido de hidrogénio.

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5688

– Lançamento orbital China: 270

– Lançamento orbital desde Taiyuan: 66

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo em 2017: 15,1% foram realizados pelos Estados Unidos (incluindo ULA – 81,8% (9) e Orbital ATK – 18,2% (2)); 16,4% (12) pela China; 20,5% (15) pela Rússia; 13,7% (10) pela Arianespace; 5,5% (4) pela Índia; 6,8% (5) pelo Japão e 21,9% (16) pela SpaceX.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

24 Nov (1810:00) – CZ-2C Chang Zheng-2C – Xichang, LC3 – YG-30-02 Yaogan Weixing-30-02A; YG-30-02 Yaogan Weixing-30-02B; YG-30-02 Yaogan Weixing-30-02C

28 Nov (1341:46) – Soyuz-2-1B/Fregat (N15000-001/122-04) – Vostochniy, LC-1S – Meteor-M (2-1); Baumanets-2; LEO Vantage-1; AISSat-3; IDEA OSG-1 (ASTROSCALE); SEAM; Landmapper-BC 3 (Corvus-BC 3); Landmapper-BC 4 (Corvus-BC 4); D-StarOne; Lemur-2 (x10)

01 Dez (????:??) – Soyuz-2-1B – GIK-1 Plesetsk, LC43/4 – 14F145 Lotus-S1

02 Dez (????:??) – CZ-2D Chang Zheng-2D – Jiuquan, LC43/603 – YG-31 Yaogan Weixing-31

04 Dez (1952:00) – Falcon-9 (B1035.2) – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Dragon SpX-13 (CRS-13)

Deixe um comentário