China desenvolve laboratório para criar comida no espaço



Yuegong 1

A China atingiu outro marco importante no seu programa espacial com o desenvolvimento do Yuegong-1, um laboratório que simula o cultivo de plantas e microorganismos na Lua.

O Yuegong, que significa ‘Palácio da Lua’, é um dos mais avançados sistemas de suporte de vida biorregenerativos, também designado Sistemas Ecológicos Controlados de de Suporte de Vida. Os preparativos foram finalizados em finais de Outubro de 2013 na Universidade Astronáutica e de Aeronáutica de Pequim.

A alta radiação da Lua e o seu ambiente de baixa gravidade é extremamente difícil de simular na Terra, segundo Liu Hong, que dirige o laboratório que já iniciou as experiências de crescimento de alimentos, frutas e vegetais para sustentar os astronautas no espaço.

O objectivo é que o ser humano seja auto-suficiente no espaço durante meses ou anos, num período que permita gerir e regenerar os recursos limitados tais como alimentos, água ou oxigénio. Caso seja bem sucedido, irá poupar milhões de euros aos governos que suportam programas espaciais tripulados.

A tarefa é mais difícil do que parece, pois as temperaturas na Lua variam entre -175ºC e 120ºC, já para não referir a sua baixa gravidade e o facto de que partes da sua superfície podem permanecer na escuridão durante mais de 10 dias. Qualquer planta ou microorganismo produzido para servir de alimento ou fornecer oxigénio, ou a decomposição dos resíduos necessitam de ser estáveis, com crescimento rápido e conseguir um alto volume de produção.

Enquanto a NASA está a preparar uma missão para crescer plantas na Lua em 2015, a China já terá finalizado um sistema regenerativo sustentável que conseguiu com sucesso desenvolver mais de uma dúzia de tipos distintos de alimentos tais como trigo, arroz, soja, amendoins, pimentos, cenouras, tomates e coentros.

Em 2013, cientistas do Centro de Pesquisa e de Treino de Astronautas finalizaram uma experiência de 30 dias onde dois sujeitos de teste sobreviveram com o oxigénio e alimentos fornecidos por uma estufa de 36 metros quadrados com quatro tipos de plantas comestíveis. O Yuegong-1 tem como objectivo alargar esta pesquisa na esperança de um dia ser possível enviar colonos para viver na Lua.

Deixe um comentário