Bolha estelar quente



Uma jovem estrela maciça, que começou a vida cerca de 25 vezes mais maciça que o nosso próprio Sol, está a derramar projécteis de material e ventos rápidos, criando esta imagem dinâmica capturada pelo XMM-Newton da ESA.

A imagem mostra a estrutura detalhada da Nebulosa Crescente, que projectou material enquanto se expandia para uma gigante vermelha, há cerca de 200 000 anos atrás. Os ventos rápidos, emitidos mais recentemente, já colidiram com esse material, fazendo com que os gases na bolha aquecessem e emitissem raios-X, observados a azul na imagem.

Também se podem observar outras características, como a tonalidade verde, gerada por átomos de oxigénio, onde o vento da estrela está a interagir com o meio interestelar circundante.

As diferenças de densidade no material circundante podem dar origem às diferentes estruturas, como o segmento de bolhas estendidas para a parte superior direita.

A estrela irá, provavelmente, terminar a sua vida numa violenta explosão supernova.

A Nebulosa Crescente fica na constelação de Cygnus, a cerca de 5000 anos-luz de distância, exactamente num local no céu que até agora estava inacessível ao XMM-Newton. Embora tenha sido bem estudado por outros telescópios de raios-X, os astrónomos que trabalham no XMM-Newton, que foi lançado a 10 de Dezembro de 1999, tiveram que esperar pacientemente até que a órbita do satélite fosse tal, que esse pedaço do céu entrasse no seu campo de visão, em abril de 2014.

Mais informações sobre a observação do XMM-Newton estão disponíveis em: “X-ray emission from the Wolf-Rayet bubble NGC 688. II. XMM-Newton EPIC observations,” de J. Toalá et al. (2015).

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Tags:  ,

Deixe um comentário