Bola de fogo do Hubble



Here we see the spectacular cosmic pairing of the star Hen 2-427 — more commonly known as WR 124 — and the nebula M1-67 which surrounds it. Both objects, captured here by the NASA/ESA Hubble Space Telescope are found in the constellation of Sagittarius and lie 15 000 light-years away. The star Hen 2-427 shines brightly at the very centre of this explosive image and around the hot clumps of gas are ejected into space at over 150 000 kilometres per hour. Hen 2-427 is a Wolf–Rayet star, named after the astronomers Charles Wolf and Georges Rayet. Wolf–Rayet are super-hot stars characterised by a fierce ejection of mass. The nebula M1-67 is estimated to be no more than 10 000 years old — just a baby in astronomical terms — but what a beautiful and magnificent sight it makes. A version of this image was released in 1998, but has now been re-reduced with the latest software.

Esta explosão dramática de cor mostra um objecto cósmico com uma história igualmente dramática. Envolvida dentro de marcantes nuvens de gás e poeira que formam uma nebulosa conhecida como M1-67, encontra-se uma estrela brilhante denominada Hen 2-427 (também conhecida como WR 124).

Esta estrela é tão intensa como a cena que se desenrolava em torno dela. É uma estrela Wolf-Rayet, um tipo raro de estrela conhecida por ter temperaturas muito elevadas à superfície – bem acima dos 25.000ºC, ao lado do Sol e dos seus relativamente frescos 5.500ºC – uma massa enorme, que varia entre 5-20 vezes a do nosso Sol. Tais estrelas estão constantemente a perder grandes quantidades de massa através de ventos densos que continuamente derramam das suas superfícies para o espaço.

Hen 2-427 é responsável por criar toda a cena aqui apresentada, a qual foi captada com magnífica precisão pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA. A estrela, que se pensa ser sido enorme em fases posteriores da sua evolução, explodiu material que engloba M1-67 para o espaço há cerca de 10 milénios atrás – talvez em várias explosões – para formar um anel de expansão de material ejetado.

Desde então, a estrela continuou a inundar a nebulosa com fragmentos enormes de gás e radiação ionizante intensa através dos seus ventos estelares ferozes, moldando e esculpindo a sua evolução. M1-67 tem mais ou menos a forma de um anel, mas carece de uma estrutura clara – é essencialmente uma coleção de grandes, maciços e superaquecidos nós de gás, todos agrupados em torno de uma estrela central.

Hen 2-427 e M1-67 encontram-se a 15 000 anos-luz de distância na constelação de Sagitta (A Seta). Esta imagem utiliza dados de luz visível recolhidos pela Câmara 2 de Campo Planetário Largo do Hubble, e foi publicada em 2015 (os mesmos dados foram previamente processados e publicados em 1998).

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário