As odisseias espaciais de Richard Linnehan na Universidade do Minho



Numa rara passagem por Portugal por parte de um astronauta (apesar de ser a segunda vez em menos de um ano que teve a oportunidade de conviver com alguém que já treinou ou participou num voo espacial), Richard Linnehan falou das odisseias espaciais de um astronauta numa palestra intitulada "Space Odysseys" realizada no Campus de Gualtar da Universidade do Minho, Braga.

A palestra foi organizada pela Escola de Ciências da Universidade do Minho em colaboração com a Embaixada dos Estados Unidos da América. A palestra inseriu-se num programa de visita à universidade minhota de uma delegação da embaixada norte-americana e da Texas A&M University, da qual faz parte Richard Linnehan. A sua visita a Portugal enquadrou-se na vinda de uma delegação da Texas A&M University ao Colégio Pierre de Coubertain, em Santa Maria da Feira, na perspectiva de uma possível parceria entre estas instituições no âmbito do programa STEM (Science, Technology, Engeneering & Mathematics).

A palestra iniciou-se com uma breve apresentação por parte do reitor da Universidade do Minho, António M. Cunha, seguida de uma breve apresentação do orador por parte da Presidente da Escola de Ciências da Universidade do Minho, Estelita Graça Lopes Rodrigues Vaz. Richard Linnehan, veterano de quatro missões a bordo do vaivém espacial, falou-nos em especial da sua última missão a bordo da estação espacial internacional (STS-123 em Março de 2008) e dos trabalhos de reparação e manutenção do telescópios espacial Hubble na missão STS-109, em Março de 2002.

Percorrendo várias fotografias, Linnehan tirou partido da sua formação como veterinário e ambientalista para descrever com sensibilidade as suas emoções em relação ao voo espacial e ao nosso futuro como espécie exploradora. As fotografias escolhidas mostravam vários aspectos do seu treino espacial como das missões nas quais participou, passando em revista algumas fotografias obtidas pelo telescópio espacial Hubble como base de partida para explicar a necessidade de uma excelência na educação científica e tecnológica.

A palestra teve como objectivo atrair os jovens para a Ciência, tornando-os cidadãos interventivos e que possam construir um futuro melhor.

Após a apresentação, Linnehan respondeu a várias questões que versaram temas espaciais e em especial a forma como os astronautas respiram em microgravidade, a sua opinião sobre a existência de vida no Universo para lá do nosso planeta, as sensações que sentiu na sua primeira missão espacial e a forma como se preparam os astronautas para as actividades extraveículares.

Em termos pessoais foi para mim uma oportunidade de conhecer de perto um astronauta norte-americano e fiquei bastante surpreendido com a abertura e disponibilidade de Ricahrd Linnehan em responder às perguntas colocadas. No final todos tiveram a oportunidade de obter um autógrafo de Linnehan e de tirar uma fotografia pessoal com o astronauta que respondendo a uma pergunta feita pelo Boletim Em Órbita e pelo astroPT, referiu que gostava de voltar ao espaço apesar de esta não ser uma decisão sua.

Para finalizar gostava de referir que para um antigo aluno da Universidade do Minho foi com muito orgulho que vi a minha alma mater receber um viajante cósmico e que pelo aspecto composto do auditório onde decorreu a palestra, seria um tipo de iniciativa a repetir no futuro.

Não sendo um dos astronautas mai experientes em termos de tempo de voo espacial, Linnehan viajou quatro vezes no vaivém espacial. Nascido a 9 de Setembro de 1957, em Lowell, Massachusetts, frequentou o ensino secundário em Pelhan, New Hampshire, e recebeu o seu Bacharelato em Zoologia em 1980 pela Universidade do New Hampshire. Posteriormente completou o seu Doutoramento em Medicina Veterinária em 1985 pela Universidade Estadual do Ohio. Após completar o seu doutoramento, Linneham ingressou na carreira veterinária e de seguida recebeu uma bolsa de investigação por dois anos em medicina animal e patologia comparativa no Jardim Zoológico de Baltimore e na Universidade de Johns Hopkins.

Em 1989 ingressou no Exército dos Estados Unidos, sendo comissionado para o Centro Naval de Sistemas Oceânicos em San Diego, Califórnia, tendo aí executado as funções de veterinário clínico no Projecto dos Mamíferos Marinhos.

Foi seleccionado para astronauta em Março de 1992 e em Agosto do ano seguinte completava o treino e o curso que o qualificou como especialista de voo do vaivém espacial. A sua primeira função como astronauta foi no Laboratório de Integração de Aviónicos do Vaivém Espacial.

Participou em quatro missões espaciais: STS-78 a bordo do vaivém espacial OV-102 Columbia, uma missão para estudar as ciências da vida e a microgravidade; STS-90 (Columbia), uma missão para estudar os efeitos da microgravidade no cérebro e no sistema nervoso; STS-109 (Columbia), a quarta missão de reparação e manutenção do telescópio espacial Hubble; e STS-123 (OV-105 Edeavour), uma missão que transportou parte do laboratório espacial japonês Kibo para a estação espacial internacional.

Richard Linnehan passou mais de 59 dias em órbita e acumulou 42 horas e 11 minutos de experiências em seis actividades extraveículares.

 
 


Imagens: Rui C. Barbosa

Deixe um comentário