Andreas Mogensen aterra depois de uma exigente missão na Estação Espacial



Soyuz TMA-16M 37

O astronauta da ESA Andreas Mogensen, o comandante da Soyuz Gennady Padalka e o cosmonauta do Cazaquistão Aidyn Aimbetov aterraram esta manhã às 00:51 GMT (02:51 CEST 12 de Setembro) nas estepes do Cazaquistão, marcando o final das suas missões à Estação Espacial Internacional. 

Andreas tornou-se no primeiro astronauta dinamarquês quando deixou o nosso planeta a 2 de Setembro na sua missão de 10 dias, iriss. O trio separou-se do complexo a 11 de Setembro às 21:29 GMT (23:29 CEST) numa nave Soyuz mais velha, deixando a nave em que chegaram para a tripulação da Estação. 

Esta missão serviu para a ESA testar novas tecnologias e fazer uma série de experiências científicas. 

Soyuz TMA-18M 101

Na sua primeira experiência, Andreas filtrou água da Estação, através de uma membrana biomimética, da Dinamarca. A membrana imita o que acontece na natureza para criar água limpa e potável usando nanotecnologia, sem necessitar de energia. Os resultados serão agora analisados para se ver se pode ser usada no espaço no futuro. 

Andreas operou dois rovers a partir da sua casa temporária em órbita. A sua tarefa mais intrincada envolveu inserir uma cavilha num buraco com menos de um milímetro. Tamanha precisão exigiu feedback táctil que a ESA desenvolveu para permitir um controlo fino a grandes distâncias. 

Andreas ‘sentiu’ os objectos manipulados pelo robô no centro técnico da ESA na Holanda enquanto dava a volta à Terra a 400 km de altitude, a milhares de quilómetros do rover. 

O sistema irá funcionar com redes lentas e pouco fiáveis daí que esteja apto a controlar robôs em Terra com infra-estruturas limitadas, eventualmente após tremores de terra. 

Andreas usou o apertado SkinSuit durante dois dias para testar a sua eficácia a prevenir problemas de coluna em ausência de peso. Também fez colheitas microbiológicas para descobrir se se mantém suficientemente limpa para ser usado por longos períodos. 

Troca de nave espacial

Andreas e Aidyn chegaram à Estação a bordo de uma nave Soyuz TMA-18M sob o comando de Sergei Volkov mas regressaram num Soyuz TMA-16M com o comandante Gennady Padalka. Gennady acabou a sua missão de seis meses e o trio deixou a nave fresca para o astronauta da NASA Scott Kelly e o cosmonauta Mikhail Korniyenko,que irão passar quase um ano no espaço para examinar a forma como os humanos se adaptam a voos de longa duração.

De volta à Terra

A missão iriss ainda não acabou para Andreas: ele irá voar via Moscovo para o centro de astronautas da ESA em Colónia, Alemanha, para análise da missão e os investigadores irão monitorizar vários parâmetros de Andreas para completar as suas experiências.   

As equipas em terra que trabalham sem parar no Centro de Controlo do Columbus em Oberpfaffenhofen, Alemanha, e o Centro de Operações de Apoio ao Utilizador irão continuar a operar o laboratório espacial da ESA Columbus, bem como a assistir a tripulação de seis astronautas internacionais a bordo da Estação. 

Em menos de três meses, o próximo astronauta da ESA a ir para o espaço, Timothy Peake, irá partir para a sua missão de cinco meses, Principia – o lançamento está previsto para 15 de Dezembro. 

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário