Acelerar o rastreio do cancro



A entrega de resultados do rastreio de cancro da mama num dia, em vez das duas semanas-padrão actuais, está a ser proposta por uma empresa start-up da incubadora da ESA, utilizando tecnologia sem papel e transferências de imagens online. As unidades móveis de rastreio já estão nas ruas.

Ao solicitar a conectividade on-line às unidades móveis de rastreio, temos o potencial de revisar radicalmente o rastreio de mama móvel no Reino Unido”, observa Viv Barrett da DEOS Consultancy, uma start-up da incubadora de empresas da ESA em Harwell, no Reino Unido.

Com uma em cada oito mulheres britânicas que desenvolvem cancro da mama pelo menos uma vez na vida, as unidades móveis de rastreio são usadas no Reino Unido para aproximar o serviço das pessoas, tal como oferecer rastreios perto de supermercados.

Quando configuradas há 28 anos, as cassetes de filmes de raios X eram levadas fisicamente aos hospitais para revelação. Hoje, os discos rígidos com imagens digitais são enviados por correio, táxi ou pessoal técnico de mamografia para um hospital, para interpretação. Além de aumentar o custo e adicionar atrasos, não é um uso eficiente do tempo da equipa médica.

Rastreio de cancro da mama

Viv, uma técnica de mamografia qualificada, com ampla experiência em rastreio móvel, achou isso inaceitável. Tendo visto os benefícios de trabalhar num ambiente conectado, fundou a DEOS Consultancy em 2015, para desenvolver um esquema mais eficiente.

Quando começámos há quatro anos, utilizámos tecnologia de comunicação por satélite para desenvolver o nosso sistema. Isso permitiu-nos desenvolver um sistema automático e modernizar as unidades de triagem mamária.

Agora, transportamos imagens, principalmente, através de redes 3G/4G, ainda de forma totalmente automática, sem envolver pessoal médico. Usamos satélites se as redes móveis locais forem muito lentas.

Reduzimos para metade os 42 passos actuais, e cortámos a documentação em papel. A nossa solução está totalmente online. Além de reduzir custos e economizar tempo, melhorou a precisão e facilitou o trabalho. E é mais rápido e muito mais amigável para o cliente.”

Actualmente, as reservas estão fechadas com vários dias de antecedência e os exames seguem diários de papel impressos e são entregues às unidades móveis diariamente, dificultando a manipulação de mudanças de última hora.

Unidade móvel de demonstração

O nosso sistema de consultas está agora activo, para que possamos lidar melhor com a análise mamária nas unidades móveis. Se uma mulher aparecer no dia errado, o seu registro pode ser acedido rapidamente e, se for elegível, pode ser rastreada em todo o caso.

Ao ter acesso directo aos dados do paciente, podemos adicionar notas clínicas directamente no sistema no momento da triagem. É muito mais seguro do que a prática actual de adicionar notas adesivas aos documentos em papel e, ocasionalmente, perdê-los no caminho para o hospital.

O nosso foco tem sido desenvolver um protótipo para a nossa tecnologia que poderia ser usado em todas as unidades móveis de rastreio.”

Sala de triagem

Várias já foram equipadas com o sistema online DEOS e estão a ser usadas, e já foi construído um veículo de demonstração.      

A partir destas, podemos ver que as imagens são normalmente transferidas para o hospital em apenas 4-10 minutos. Isto é impressionante porque, normalmente, demora pelo menos 24 horas, e às vezes até 2 dias.

Com a nossa abordagem, as mulheres poderiam obter os seus resultados no próprio dia.”

Ao estarmos sediados no Centro de Incubação de Empresas da ESA, em Harwell, encontramo-nos na posição perfeita para aceder a tecnologia especializada e a experiência que precisávamos para completar o nosso protótipo e trabalhar em rede com o público e os mercados certos”, observa Viv.

Esta foi uma fase crítica no desenvolvimento do nosso negócio, bem finalizado e de forma rápida, graças ao apoio que recebemos.”

A DEOS tornou-se a 50ª empresa start-up a formar-se no centro Harwell, desde a sua inauguração em 2011. Até ao momento, 61 empresas juntaram-se ao centro, geralmente durante dois anos, todas explorando tecnologia espacial e via satélite para desenvolver novos produtos e serviços para aplicações terrestres.

O centro faz parte da rede europeia de incubadoras de empresas dirigidas pelo Programa de Transferência de Tecnologia da ESA.

Transformar uma ideia brilhante numa oferta comercial viável é um grande desafio. Ajudamos a criação de empresas para concluir este processo e a tornarem-se empresas viáveis”, afirmou Sue O’Hare, Directora da incubadora de Harwell.

A empresa DEOS é um bom exemplo de como a tecnologia por satélite pode melhorar um serviço que pode mudar a vida para muitos.”

Notícia e imagens: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Tags:  

Deixe um comentário