A última reentrada do ATV deixa um legado para o futuro da exploração espacial



ATV-5_reentry_seen_from_space_large

O quinto veículo de carga automatizado completou a sua missão para a Estação Espacial Internacional, Domingo, 15, quando reentrou na atmosfera e entrou em combustão segura por cima de uma região desabitada do Oceano Pacífico.

O fim da missão ocorreu como planeado, às 1804UTC, e marcou o fim do programa do Veículo de Transferência Automatizado (ATV). O programa serviu a estação com o veículo mais complexo alguma vez desenvolvido na Europa, atingindo cinco lançamentos em seis anos, seguindo-se à sua estreia em 2008.

Os ATVs entregaram mais de 31 500 kg de mantimentos ao longo das suas cinco missões. Elevaram a Estação até à órbita correta uma série de vezes e desviaram-na de detritos espaciais.

Os veículos demonstraram a mestria europeia na acoplagem automatizada, uma tecnologia que é vital para o futuro da exploração espacial.

Este último ATV, Georges Lemaître, estabeleceu um recorde de carga para um lançamento do Ariane-5 quando foi lançado para o espaço, a partir do Porto Espacial Europeu, na Guiana Francesa, a 29 de Julho de 2014.

Antes de desacoplar, a tripulação da Estação encheu-o de lixo, libertando espaço no centro de pesquisa espacial.

A nave de carga europeia desacoplou-se a 14 de Fevereiro às 1340UTC, colocando-se numa trajectória de descida segura.

O investimento Europeu em voo espacial tripulado

O ATV foi concebido em 1987, quando começaram a aparecer as primeiras ideias para uma estação espacial internacional que sucedesse ao complexo russo Mir. Em 1994, a ESA e a Rússia discutiram a possibilidade de usar o veículo para a nova estação. A decisão de o construir foi tomada em Outubro de 1995 e o desenvolvimento começou no ano seguinte.

O programa do ATV fez parte de um acordo entre a ESA e os seus parceiros internacionais através do qual a ESA cumpre a sua obrigação em fornecimento de sistemas vitais e equipamento no programa da Estação Espacial Internacional.

A nave especial fez parte da frota de abastecimento da Estação, a par das naves russas Progress e Soyuz, o veículo de transferência japonês HII e os transportadores comerciais americanos Dragon e Cygnus.

O conhecimento adquirido pela ESA e indústria europeia, com o desenho, construção e operação das complexas missões ATV foi essencial para a participação da ESA na nave espacial da NASA Orion, que irá levar os astronautas até à Lua e mais além.

Os parceiros industriais da ESA já estão a construir o Módulo de Serviço Europeu, o sucessor técnico do ATV, um módulo essencial para a Orion que irá fornecer energia, ar e propulsão durante o voo de teste em 2017.

É com um sentimento de orgulho que olhamos para trás, para o que atingimos com o programa do  ATV,” diz Thomas Reiter, Director de Voos Tripulados e Operações.

Estamos agora ansiosos por aplicar a experiência e conhecimentos adquiridos a partir do desenho, construção e operação do cinco ATV, com excelentes resultados para missões de exploração futuras, usando o Módulo de Serviço Europeu, do veículo Orion.”

Notícia e imagem: ESA

Tags:  , , , ,

Deixe um comentário