A última missão do Endeavour



O vaivém espacial OV-105 Endeavour, o mais novo de todos os vaivéns espaciais norte-americanos, iniciou a sua última missão espacial às 1256:26UTC do dia 16 de Maio de 2011. O lançamento teve lugar desde a Plataforma de Lançamento A do Complexo de Lançamento LC-39 do Centro Espacial Kennedy, Florida.

A bordo do Endeavour seguem seis astronautas, sendo conco norte-americanos e um italiano. O Endeavour é comandado por Mark Edward Kelly na sua quarta missão espacial. O Piloto do Endeavour é Gregory Harold Johnson que participar na sua segunda missão espacial. Os quatro Especialistas de Missão são Edward Michael Fincke (3ª missão), Roberto Vittori (Itália – 3ª missão), Andrew Jay Feustel (2ª missão) e Gregory Errol Chamitoff (2ª missão).

O principal objectivo da missão STS-134 / ISS ULF-5 é o transporte, entrega e colocação do espectómetro AMS-2 (Alpha Magnetic Spectrometer), um detector que foi desenhado para operar a partir da ISS e procurar por vários tipos de partículas de matéria.

A bordo do vaivém espacial seguem partes sobressalentes para a ISS no ExPRESS Logistics Carrier-3 (ELC-3), entre as quais duas antenas de comunicações em banda S, um tanque de gás a alta-pressão, um conjunto que compõe um tanque de amoníaco, caixas interruptores, um computador para o Canadarm2 e um braço suplente para o robot Dextre. O ELC3 também transporta um conjunto de experiências para o Departamento de Defesa que irão testar sistemas e conceitos de materiais para o voo espacial de longa duração na órbita terrestre baixa.

A missão STS-134 incluí quatro passeios espaciais (actividades extraveículares) que estarão focadas na manutenção da ISS, troca de experiências no exterior e transferênci do sistema de sensores OBSS para a ISS. A tripulação irá deixar o sistema de sensores como um elementos permanente para o auxílio de futuros passeios espaciais a partir da ISS.

Durante a missão, e após o Endeavour se separar da ISS, o vaivém irá aproximar-se de novo da estação para testar novas tecnologias de sensores que poderão facilitar as futuras acopolagens de veículos à ISS.

O Endeavour irá agora passar os próximos dois dias numa verdadeira perseguição à estação espacial. No segundo dia da missão a tripulação irá levar a cabo a usual inspecção do sistema de protecção térmica do vaivém utilizando o sistema de sensores OBSS ligado ao Canadarm. Enquanto decorre a inspecção, os astronautas Fincke e Feustel irão preparar os fatos extraveículares que serão transferidos para a ISS após a acopolagem e que serão urtilizados nas quatro actividades extraveículares. Após a inspecção e a arrumação do sistema de sensores OBSS, o braço robot do Endeavour irá ser conectado ao ELC3 para assim preparar a sua transferência para a ISS pouco tempo após a acoplagem.

No terceiro dia da missão o Endeavour irá aproximar-se e acoplar com a ISS. O sistema STORRM (Sensor Test for Orion Rel-nav Risk Mittigation) irá começar a obter dados num computador no interior do vaivém durante a fase de aproximação e acoplagem. A manobra de reaproximação irá acontecer mais tarde na missão.

Após a abertura das escotilhas entre o vaivém e a estação, ambas as tripulações irão começar a trabalhar na utilização do Canadarm do Endeavour para a transferência do ELC3 a partir do porão de carga do vaivém, sua transferência e entrega ao Canadarm2 e instalação na ISS. 

O AMS-2 será instalado no quarto dia de voo. De forma similar ao que foi feito com o ELC3, os braços robot do vaivém espacial e da ISS irão trabalhar em conjunto para a instalação do espectrómetro. As tripulações irão também começar a transferir equipamentos e mantimentos entre o Endeavour e a ISS, começando os preparativos para a primaira actividade extraveícular. As tripulações irão rever a coreografia do passeio espacia, enquanto que Feustel e Chamitoff irão passar a noite no interior do módulo Quest.

Cada um dos quatro passeios espaciais irá ter uma duração de seis horas e serão levados a cabo por três elementos da tripulação do Endeavour. Feustel é o astronauta líder para estas actividades. Tendo já levado a cabo três passeios espaciais, ele irá envergar um fato com riscas vermelhas. Fincke já levou a cabo seis passeios espaciais e irá envergar um fato extraveícular  sem qualquer marca. Chamitoff irá levar a cabo o seu primeiro passeio espacial e irá envergar um fato com riscas vermelhas interrompidas.

No quinto dia de voo, Feutel e Chamitoff irão recuperar duas experiências de exposição de materiais e instalar um novo conjunto de experiências no ELC2. Irão instalar sistemas de fornecimento de amoníacona estrutura da ISS, irão verter nitrogénio de um sistema de amoníaco e proceder à instalação de um sistema externo de comunicações wireless que permitirá as comunicações com os ELC montados nos segmentos P3 e S3 da ISS.

No sexto dia de voo a tripulação irá transferir o sistema OBSS para a ISS que estará assim pronto para qualquer inspecção mais detalhada que possa ser necessária. A tarde do sexta dia será uma tarde livre para os astronautas e Feustel e Fincke irão passar a noite no Quest.

Durante a segunda actividade extraveícular, no 7º dia de voo, Feustel e Fincke irão reabastecer os radiadores da estrutura P6 com amoníaco. Irão também finalizar os procedimentos para verter o sistema de amoníaco no P6, lubrificar o sistema de juntas num dos painéis solares e lubrificar uma parte do Dextre.

O 8º dia de missão incluí a transferência de equipamento e mantimentos, e tempo livre adicional para os astronautas. No final do dia, Feustel e Fincke não irão passar a noite no módulo Quest dado que o terceiro passeio espacial irá ser antecedido de um novo protocolo de preparação do corpo dos astronautas para prevenir a doença de despressurização enquanto envergam os seus fatos espaciais extraveículares de baixa pressão.

Os novos preparativos para o passeio espacial, denominados "in-suit light exercise", não requer que os astronautas passem a noite a pressão reduzida e deverá utilizar menos oxigénio que está armazenado a bordo da ISS. Após envergarem os fatos na manhã do terceiro passeio espacial, Feustel e Fincke, irão levar a cabo um ligeiro exercício ao "caminhar" durante 50 minutos, e depois descansarem durante 50 minutos. Após o passeio espacial os membros da tripulação e as equipas de suporte no solo irão avaliar o novo procedimento para determinar se será utilizado na quarto e última excursão.

O terceiro passeio espacial no 9º dia de voo será utilizado para a instalação de um novo dispositivo PDGF (Power and Data Grapple Fixture), bem como os cabos de efornecimento de energia e de dados que lhes estão associados no módulo Zaryapara suportar operações robóticas a parte do segmento russo da ISS. Irão também instalar cabos adicionais para proporcionar um fornecimento redundante de energia ao segmento russo da estação espacial.

A "inspecção tardia" no escudo de protecção térmica do Endeavour irá ter lugar no 10º dia de voo. esta inspecção  é usualmente levada a cabo após a separação entre os dois veículos, mas terá de ser levada a cabo neste dia pois o sistema OBSS foi já transferido para a ISS. Entretanto na estação espacial a tripulação irá iniciar três dias de trabalhos de manutenção do dispositivoque remove o dióxido de carbono da atmosfera da ISS. Fincke e Chamitoff deverá passar a noite no Quest caso os resultados do novo protocolo de preparação para as actividades extraveículares não seja aprovado.

No 11º dia de voo, durante o quarto e último passio espacial da missão, os dois astronautas irão fixar o OBSS para armazenamento na interface entre as estrutyra S0 e S1. Os dois astronautas irão também recolher o FDGF da estrutura P6, remover o dispositivo de fixação electrónica do OBSS e substituí-lo com o dispositivo do PDGF do P6. Os dois astronautas irão então libertar dois dispositivos de fixação do Dextre e substituir partes do sistema de protecção térmica num dos tanques de gás no Quest.

Esta será a última actividade extraveícular que será levada a cabo por uma tripulação de um vaivém espacial, pois o único passeio espacial previsto para a missão STS-135 será conduzido por dois elementos da estação espacial (Michael Fossum e Ronald Garan).

O dia 12 da missão do Endeavour incluí a organização do equipamento utilizado nos passeios espaciais e mais trabalhos de transferência entre os dois veículos antes do encerramento das escotilhas.

O 13º dia inicia-se com a separação do Endeavour e continuará com o principal objectivo da experiência STORRM.

Uma vez separado da ISS, o Endeavour deverá levar a cabo um voo em torno da estação espacial com a tripulação a obter imagens detalhadas da sua estrutura externa que servirá como uma importante documentação para as equipas em Houston para monitorizar o laboratório espacial.

Terminada a manobra em torno da estação, o Endeavour activará os seus motores para se afastar da ISS. Uma segunda activação dos motores do vaivém, que usualmente serviria para afastar ainda mais o vaivém, servirá como a primeira de várias manobras para fazer o vaivém aproximar-se da ISS para o teste dos sensores.

A reaproximação irá imitar a trajectória de aproximação do veículo Orion. O teste irá categorizar a performance dos sensores no porão de carga do Endeavour e a sua aquisição por parte de reflectores num alvo de acoplagem na estação. Cerca de cinco horas após a acoplagem, os motores do Endeavour serão novamente activados para se afastar de vez da vizinhança da estação espacial.

O 14º dia de voo será utilizado para a verificação do sistema de controlo de reacção do Endeavour e das superfícies aerodinâmicas de controlo. Ambos os sistemas serão utilizados no regresso à Terra.

A última aterragem do Endeavour está prevista para ter lugar no 15º dia de voo no Centro Espacial Kennedy.

Deixe um comentário