A tragédia da Apollo-1 foi há 46 anos




Quando Virgil Grisson, Edward White e Roger Chaffee, entraram a 27 de Janeiro de 1967 no módulo de comando da Apollo-1, iam preparados para mais um longo ensaio da primeira missão tripulada do Programa Apollo. O objectivo era ambicioso e havia sido lançado seis anos antes pelo Presidente John Kennedy, isto é, colocar um homem na Lua e trazê-lo são e salvo de volta para a Terra antes do final da década.

O veículo Apollo apresentava muitos problemas, mas cada obstáculo tinha vindo a ser ganho com o objectivo de cumprir a data de lançamento naquela altura marcada para 21 de Fevereiro de 1967. Naquele fia o teste seria levado a cabo com uma pressurização total da cabine da cápsula espacial utilizando oxigénio puro e com o veículo desligado de qualquer comunicação por cabo (que só era possível através da escotilha que tinha de estar encerrada devido á pressurização da cabine).

Pelas 2331:04UTC, Roger Chaffee exclamou o seu espanto por algo estar a acontecer no interior da cápsula e três segundos depois Gus Grissom dizia que um fogo estava a arder no interior da cápsula. Com ordens de Grissom para evacuar a Apollo-1, White tentou abrir a escotilha numa altura em que as chamas já invadiam o interior do módulo. As transmissões a partir do interior da cápsula terminaram às 2331:21UTC com o que parecia ser um grito de dor e com os som dos gases a escapar do interior devido à ruptura estrutural do veículo devido ao aumento de pressão no interior.

Os três astronautas pereceram em resultado do fogo de consumiu por completo o interior da Apollo-1.

Deixe um comentário