2010-062 Minotaur-IV * STP S-26



A Orbital Sciences Corporation (OSC) levou a cabo o lançamento de um foguetão Minotaur-IV desde o Complexo Espacial de Kodiak, Alasca. O lançamento da missão STP S-26 teve lugar às 0124UTC do dia 20 de Novembro de 2010 e a bordo do foguetão lançador seguiam oito satélites: STPSat-2, FASTSAT-HSV01 (STP-S26), FASTRAC-A (Sara-Lily, Nanosat 3A), FASTRAC-B (Emma, Nanosat 3B), FalconSat-5, O/OREOS, RAX e o NanoSail-D2.

A carga principal desta missão era o satélite STPSat-2, um satélite de 180 kg que transporta tecnologias inovadoras para o USAF Space Test Program. Em órbita irá levar a cabo duas experiências: a SPEX (Space Phenomenology Experiment) e a ODTML (Ocean Data Telemetry Microsat Link) que irá investigar a operação de sensores no espaço e transmitr os seusdados através de vários meios, incluindo a Internet.

O satélites RAX (Radio Aurora Explorer) é um CubeSat de três unidades que será utilizado para levar a cabo estudos da ionosfera, recebendo sinais de radar a partir de estações no solo e que podem ser utilizados para medir a actividade na ionosfera.

O Organism/Organic Exposure to Orbital Stresses (O/OREOS) é um satélite da NASA que transporta duas experiências biológicas, uma das quais irá estudar microorganismos e a outra irá estudar amostras orgânicas inanimadas para verificar a forma como reagem às condições espaciais, tais como radiação e temperaturas extremas. O satélite irá utilizar painéis de Mylar com o objectivo de aumentar o atrito atmosférico e induzir a sua reentrada mais rapidamente, diminuindo assim o tempo que permanece em órbita como detrito orbital.

O Fast Affordable Science and Technology Satellite (FASTSAT) é outra missão da NASA que riá testar um sistema de detecção de ameaças e um detector estelar miniarurizado para o USAF Research Laboratory, além de transportar três experiências atmosféricas para medir a temperatura da termosfera terrestre e estudar as dendidades do oxigénio e nitrogénio, para estudar o plasma na atmosfera exterior, e para investigar os electrões na ionosfera, além de tentar demonstrar uma nova técnica para medição da sua temperatura e densidade.

Para além das suas experiências, o FASTSAT irá libertar o pequeno NanoSail-D2 sete dias após o lançamento. Este pequeno satélite irá levar a cabo a missão do Nanosail-D que foi perdido num lançamento falhado em 2008. O NanoSail-D2 irá abrir a sua vela solar num processo que demorará cinco segundos.

O FalconSat-5 é um satélite para demonstrar tecnologias inovadoras que transporta quatro experiências.

O FASTRAC (Formation Autonomy Spacecraft with Thrust, Attitude and Crosslink) consiste em dois satélites que irão estudar a utilização de um MDPT (Micro-Discharge Plasma Thruster) por parte do satélite Sara-Lily para voar em formação com o satélite Emma.

A seguinte lista mostra o total de lançamentos previstos para cada polígono de lançamento em 2010. O primeiro número indica os lançamentos realizados, enquanto que o segundo número indica os lançamentos previstos. Quando surgir algum número entre parêntesis quererá indicar um lançamento falhado incluído nos lançamentos já realizados. os números serão actualizados à medida que se verificarem alterações.

GIK-5 Baikonur (Rússia / ILS / Kosmotras) – 21 / 25
GIK-1 Plesetsk (Rússia / Eurockot) – 6 / 10
Dombarovskiy (Rússia / Kosmotras) – 1 / 1
Cabo Canaveral AFS (EUA / ULA / SpaceX) – 6 / 8
Centro Espacial Kennedy (EUA) – 3 / 4
Vandenberg AFB (EUA / ULA) – 3 / 3
Kodiak – 1 / 1
Jiuquan (China) – 4 / 4
Xi Chang (China) – 6 / 8
Taiyuan (China) – 3 / 3
Tanegashima (Japão) – 2 / 2
CSG Kourou (Arianespace) – 4 / 6
Satish Dawan SHAR (Índia) – 2 (1) / 3
Naro (Coreia do Sul) – 1 (1) / 1
Palmachin – 1 / 1

Imagens: Thom Rogers (T-Minus Productions Inc.)

 

Deixe um comentário