2010-050 CZ-3C Chang Zheng-3C (Y7) * Chang'e-2



A segunda missão lunar da China, a Chang’e-2, foi lançada no Dia Nacional às 1058:57,345UTC por um foguetão CZ-3C Chang Zheng-3C (Y7) a partir do Complexo de Lançamento LC2 do Centro de Lançamento de Satélites de Xi Chang, província de Sichuan.

O foguetão CZ-3C Chang Zheng-3C completa a sua missão 25 minutos após a ignição quando o satélite se separa do último estágio criogénico. A sonda abre então os seus painéis solares e continua os procedimentos para ajustar a sua altutude e direcção do vector de velocidade.

Após 110 horas de voo a Chang’e-2 irá atingir o espaço lunar e iniciar o ajustamento da sua direcção e velocidade para a travagem a cerca de 100 km da superfície lunar. A sonda irá realizar mais três manobras de travagem e entrar numa órbita a 100 km da superfície.

Originalmente construída como o veículo suplente da Chang’e-1 lançada a 24 de Outubro de 2007, a Chang’e-2 é uma sonda mais capaz do que a sua predecessora sofrendo numerosas melhorias tecnológicas. A sonda é capaz de executar novas manobras de captura lunar, controlo orbital e está dotada de uma câmara estéreo CCD de alta resolução.

Com uma massa de 2.480 kg, a sonda irá demorar cinco dias a atingir a Lua em vez dos 14 dias que a Chang’e-1 demorou a atingir o nosso satélite natural. Para tal, a sonda será lançada directamente para uma órbita de transferência no sistema Terra – Lua com um perigeu de 200 km e um apogeu de 380.000 km.

Uma vez em órbita lunar a sonda irá utilizar a sua câmara para observar características de 10 metros na superfície lunar, atingindo uma resolução de 1,5 metros quando sobrevoar a superfície a uma altitude de 15 km. Em alguns testes a câmara foi capaz de atingir uma resolução de 7 metros a partir de 10 km de altitude. Esta é uma melhoria notável se comparada com a resolução de 120 metros atingida pela Chang’e-1.

As características do solo lunar serão também estudadas utilizando espectroscopia de raios gama e raios-X, para assim detectar o conteúdo e distribuição de silício, magnésio, alumínio, cálcio, titânio, potásio, tório e urânio. Os instrumentos irão permitir uma maior precisão e determinação da distribuição dos referidos elementos na superfície lunar.

 

Outras experiências irão focar nas propriedades da superfície, utilizando tecnologias de detecção de micoondas para a medição da radiação de microondas na superfície lunar a 3,0 GHz, 7,8 GHz, 19,35 GHz e 37 GHz. Estes dados serão utilizados para estimar a espessura do solo lunar e outras propriedades.

A Chang’e-2 irá também estudar os efeitos da energia solar proveniente das CME e do vento solar na superfície da Lua. Para se consegur estes resultados, a sonda está equipada com um detector de partículas solares e um detector de iões que irão estudar a composição, espectro energético e características das partículas solares.

A sonda transporta também outras experiências que irão investigar a espaço profundo. Por outro lado, a monitorização e controlo do voo da Chang’e-2 será a primeira validação do novo sistema de monitorização utilizando banda X por parte da China. Em comparação com a missão lunar anterior que utilizou a banda S, a as frequências que utilizam a banda X permitem uma melhor transmissão de sinais de rádio, monitorização remota e controlo de comunicações.

A sonda irá também testar uma noca câmara, verificando-se uma acentuado aumento no fluxo de capacidade de comunicações. Esta capacidade será muito importante para a missão da Chang’e-3 prevista para 2013. Chang’e-3 deverá alunar na região de Sinus Iridium, que será um dos locais a ser observados pela Chang’e-2.

A segunda missão lunar da China deverá ter uma duração de seis meses, porém a missão pode ser prolongada se a sonda se encontrar em bom estado e exista a quantidade de propolente para tal.

Este foi o quinto lançamento para o CZ-3C Chang Zheng-3C que foi desenvolvido para preencher o espaço entre o foguetão CZ-3A Chang Zheng-3A e o CZ-3B Chang Zheng-3B. Tem uma capacidade de colocar 3.800 kg numa órbita de transferência para a órbita geossíncrona. A sua configuração é igual à do CZ-3B mas utilizando somente dois propulsores laterais de combustível líquido.

O primeiro lançamento do CZ-3C teve lugar a 25 de Abril de 2008 colocando em órbita o satélite de comunicações e de transmissão de dados TL-1 Tian Lian-1.

O Centro de Lançamento de Satélites de Xi Chang está equipado com dois complexos de lançamento (LC2 e LC3), possuindo uma via de caminho-de-ferro própria e um sistema de auto-estradas directamente para o centro espacial. O Centro de Comando e Controlo está localizado a sete quilómetros e fornece sistemas de segurança e controlo durante os ensaios e lançamentos.

Deixe um comentário