2010-005 Atlas-V/401 (AV-021) * SDO



A United Launch Alliance procedeu ao lançamento do observatório solar SDO (Solar Dynamics Observatory). O lançamento foi levado a cabo por um foguetão Atlas-V/401 (AV-021) às 1512:00,319UTC do dia 11 de Fevereiro a partir do Complexo de Lançamento SLC-41 do Cabo Canaveral AFS, Florida. O lançamento estava inicialmente previsto para ter lugar a 10 de Fevereiro mas foi adiado devido à ocorrência de fortes ventos na trajectória que seria seguida pelo lançador.

O SDO tem como missão ajudar-nos a melhor compreender a influência do Sol na Terra e no espaço próximo do nosso planeta ao estudar a atmosfera solar em pequenas escalas de tempo e espaço e em muitos comprimentos de onda de forma simultânea.

O SDO irá ajudar-nos a compreender o ‘como’ e o ‘porquê’ das alterações do canpo magnético solar. Irá determinar a forma como o campo magnético é gerado e estruturado, e a forma como a energia magnética armazenada é libertada na heliosfera e no geospaço. Os dados e análises da SDO irão também ajudar-nos a desenvolver a capacidade de prever as variaçõe solares que influenciam a vida na Terra e os sistemas tecnológicos da Humanidade.

O novo observatório irá medir as propriedades do Sol e da actividade solar. Existem poucos tipos de medições mas muitas delas serão obtidas. Por exemplo, a velocidade da superfície será medida pelo HMI. Estes dados podem ser utilizados para muitos estudos diferentes. Um é o nível de rotação da superfície, que deve ser removido para se poder estudar outros parâmetros. Após se eliminar a rotação, temos as velocidades de oscilação e convectiva. Esta última é semelhante a aglomerados de nuvens de tempestade cobrindo o Sol. O gás quente move-se para fora no centro dos aglomerados e para baixo nos bordos, tal como a água a ferver. Ao analisarmos estas velocidades podemos ver a forma como as manchas solares afectam a zona de convecção. Ao se observar uma longa sequência de dados (mais de 30 anos), podemos ver as oscilações do Sol. Estes padrões podem ser utilizados para olharmos o interior so Sol e através dele.

Os objectivos científicos do Projecto SDO têm como objectivo melhorar a nossa compreensão de sete questões científicas:

  • 1. Quais os mecanismos que originam o ciclo de actividade solar de quase 11 anos?
  • 2. De que forma é sintetizada a região activa do fluxo magnético, concentrada e dispersa ao longo da superfície solar?
  • 3. De que forma a reconexão magnética em pequena escala reorganiza a topografia de campo em larga escala e os sistemas actuais, e quão significativo é no aquecimento da corona e na aceleração do vento solar?
  • 4. Onde é que as variações observadas na irradiança espectral EUV do Sol se originam e de que forma se relacionam com os ciclos de actividade magnética?
  • 5. Quais as configurações do campo magnético levam a ejecções de massa coronais, erupções filamentares, e explosões que originam partículas energéticas e radiação?
  • 6. Pode a estrutyra e a dinâmica do vento solar próximo da Terra ser determinada a partir da configuração do campo magnético e da estrutura atmosférica próxoma da superfície solar?
  • 7. Quando vai ocorrer a actividade, e será possível levar a cabo uma previsão precisa e fiável do tempo e clima espacial?

Este foi o 4690º lançamento orbital levado a cabo desde 4 de Outubro de 1957, sendo o 1382º lançamento orbital dos Estados Unidos (2º em 2010) e o 591º lançamento orbital a ter lugar desde o Cabo Canaveral (1º em 2010).

A seguinte lista mostra o total de lançamentos previstos para cada polígono de lançamento em 2010. O primeiro número indica os lançamentos realizados, enquanto que o segundo número indica os lançamentos previstos. Quando surgir algum número entre parêntesis quererá indicar um lançamento falhado incluído nos lançamentos já realizados. os números serão actualizados à medida que se verificarem alterações.

GIK-5 Baikonur (Rússia / ILS / Kosmotras) – 2 / 36

GIK-1 Plesetsk (Rússia / Eurockot) – 0 / 5

Vostochniy (Rússia) – 0 / 1

Dombarovskiy (Rússia / Kosmotras) – 0 / 3

Cabo Canaveral AFS (EUA / ULA / SpaceX) – 1 / 17

Centro Espacial Kennedy (EUA) – 1 / 5

Vandenberg AFB (EUA / ULA) – 0 / 8

Kodiak (EUA) – 0 / 2

Ilha de Omelek (SpaceX) – 0 / 2

Jiuquan (China) – 0 / 3

Xi Chang (China) – 1 / 14

Taiyuan (China) – 0 / 6

Tanegashima (Japão) – 0 / 2

CSG Kourou (Arianespace) – 0 / 10

Satish Dawan SHAR (Índia) – 0 / 9

Semnan (Irão) – 0 / 1

Naro (Coreia do Sul) – 0 / 1

Odyssey (Sea Launch) – 0 / 1

Palmachin – 0 / 1

Imagem: ULA

Deixe um comentário