2007: odisseia no espaço

O ano: 2007. O local: Cabo Canaveral. O módulo Columbus, construído na Itália e enviado da Alemanha, está a ser submetido a testes no Centro Espacial Kennedy da NASA, na Flórida.

Esta visão interior única apresenta alguns dos equipamentos que fazem de Columbus um laboratório de classe mundial. Fazendo lembrar as unidades de armazenamento das linhas aéreas, as “prateleiras” são instalações altamente compactas para pesquisa em várias disciplinas científicas.


Cada prateleira é do tamanho de uma cabine telefónica e pode hospedar laboratórios autónomos e independentes, com sistemas de energia e refrigeração. Conexões de vídeo e de dados enviam os resultados de volta aos investigadores na Terra.

Da esquerda para a direita estão o European Drawer Rack, um operador de experiências flexível; os European Physiology Modules (Módulos Europeus de Fisiologia) para experiências focadas no corpo humano; o Biolab, para experiências de ciências da vida; e o Fluid Science Lab (Laboratório de Ciência Fluida), para estudar fluidos em microgravidade.

Os quatro podem ser vistos aqui na sua configuração de lançamento. As prateleiras foram mais tarde recolocadas dentro do Columbus, uma vez em órbita.

Graças a estas e outras instalações no Columbus, os investigadores conseguiram realizar, na última década, pesquisas multidisciplinares em microgravidade.

Desde o estudo de células imunitárias, para entender como funcionam, até ao desenvolvimento de tecnologia que descobre o seu caminho de volta à Terra, Columbus e o seu conjunto de equipamentos de pesquisa realizaram mais de 225 experiências e geraram incontáveis trabalhos científicos.

No dia 7 de fevereiro, a ESA celebra os 10 anos da porta da Europa para a investigação espacial, no nosso coração técnico, nos Países Baixos. O evento é uma oportunidade única para reviver alguns marcos interessantes, conectar-se ao vivo com a Estação e analisar os planos de exploração espacial.

A grande família Columbus, que abrange projectistas, construtores, cientistas, equipas de apoio e astronautas, reunir-se-á para comemorar o passado, o presente e o futuro das principais contribuições da Europa para a Estação.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

 

%d blogueiros gostam disto: